•Agência de Turismo
   •Beleza e Estética
   •Decoração
   •Diversão
   •Educação e Cursos
   •Gastronomia
   •Lazer
   •Meio Ambiente
   •Moda e Vestuário
   •Pet & Cia
   •Psicologia
   •Saúde
   •Turismo

Valência. O outro lado da Espanha.

Compartilhe esta matéria com seus amigos !

Na edição passada cometemos um erro crasso de geografia. Dizer que Toronto é a capital do Canadá, sendo que, na verdade, é Otawa. Não estamos tentando justificar o erro, mas para muitas pessoas, uma cidade mais populosa ou famosa do país é sinônimo de sua capital. Disso, podemos tirar duas importantes lições: por respeito a você, leitor, vamos sempre assumir os erros e, em questão de turismo, conhecer apenas o lugar mais renomado de um país pode limitar seu conhecimento e fazer você perder grandes oportunidades de visitar locais de belezas incríveis.
Foi com esse espírito, de corrigir os erros, que nossa revista voltou à Espanha para conhecer a cidade de Valência, uma verdadeira joia que está equiparada em beleza e diversão as suas conterrâneas Madri e Barcelona. Um resumo da Espanha.
Sem sombra de dúvidas, a Espanha é um dos países com uma das mais ricas histórias de toda Europa. De grande potência dos séculos passados à decadência e seu posterior renascimento, a cultura espanhola foi influenciada por diversos povos, costumes e modos. E essa diversidade, entre o passado e o moderno é infinitamente mais destacada em Valência.
Para aproveitar ao máximo a sua viagem, o caminho mais convencional é o ferroviário. Apesar de ter um aeroporto que recebe voos internacionais, a maioria dos turistas brasileiros opta por desembarcar em Barcelona ou Madri e ir de trem para Valência. Para animar, o translado nem é tão longo. Em cerca de 3 horas, partindo de qualquer uma dessas cidades, você chega à Valência.
Apesar de sempre ressaltarmos em todas as matérias de turismo, vale novamente o lembrete: os brasileiros não necessitam de visto de turismo para países de União Europeia, mas isso não significa facilidades para entrar no país. Se você vai ficar na casa de algum parente, peça para ele escrever uma carta à mão informando o parentesco e o motivo da viagem. Você também deve levar uma quantia mínima de euros por dia, além de mostrar a passagem de volta já comprada. Isso facilita o seu trâmite e sua entrada no país.

Para não andar em círculos.
Comparado a outros centros europeus, Valência não é uma cidade grande, o que favorece muito o turismo, já que você poderá desbravar o local a pé sem muito problema. Mas se mesmo assim a preguiça bater, a cidade oferece uma grande vantagem: o Valencia Tourist Card, um cartão, que como o nosso Bilhete Único, permite que você use o transporte público sem problema. Há três tipos de cartões: os que valem 24h, 48h e 72h custando, respectivamente, €15.00, €20.00 e €25.00. O melhor de se adquirir o Tourist Card é que ele também oferece desconto em inúmeras atrações como museus, casas noturnas e restaurantes.

Aonde o velho e o novo se encontram.
Agora que você já sabe como desbravar a cidade sem problema, pode começar a fazer sua lista de atrações imperdíveis. A cidade possui destaques e arquitetura que vão do antigo ao ultramoderno. Mas se tivermos que começar por um ponto, com certeza, será a pela região que os guias chamam de Cidade Velha. Devido a invasão dos Mouros, muito da arquitetura árabe foi incorporada aos prédios do local. E um dos maiores exemplos é o Mercado Central, o principal da cidade. Bem perto dali, você poderá avistar as Torres Serranos, um dos resquícios das enormes muralhas que protegiam a cidade das invasões de outros povos.
Andando um pouco mais, você chagará ao Museu da Cerâmica. Para quem não sabe, esse tipo de arte é praticamente uma instituição valenciana. Você poderá descobrir e apreciar técnicas de artesanato dificilmente encontradas em outros locais, mas as obras de arte não ficam apenas dentro do museu. A arquitetura do prédio é impressionante e, como não poderia deixar de ser, grandiosa. É um dos poucos prédios no estilo rococó da região.
Saindo um pouco da arquitetura, só um pouco, já que devido ao estilo, cada prédio das ruas estreitas e arborizadas parecem ser uma atração à parte, e partindo para a fé, não deixe de visitar a Catedral da cidade. Além de observar o fervor religioso dos espanhóis, por €2.00 é possível subir na Torre Miguelete, de onde se tem uma vista de tirar o fôlego.
A verdadeira cidade das artes. Saindo do Centro Antigo, você poderá conhecer uma das maiores atrações de Valência e, se duvidar, de toda a Espanha, a Cidade das Artes e Ciências. Um enorme complexo que abriga museu, cinema e até um oceanário, com o design dos renomados arquitetos Santiago Calatrava e Félix Candela.
Logo na entrada, você vai se deparar com um enorme espelho d’água que reflete prédios de formas futuristas e marcantes. Depois vai avistar o L’Hemisferic, um prédio em formato de olho, também conhecido como o Olho do Conhecimento.
Caminhando pelo complexo, você verá o Museu de Ciências Príncipe Felipe que, ao contrário de qualquer outro museu convencional, o visitante pode sentir, ver e até tocar em alguma peças, o que aproxima a todos do mundo cultural e tecnológico. Porém, uma das maiores atrações é, sem dúvida, o Oceanário. Um dos maiores de toda a Europa. São mais de 45 mil animais espalhados por ambientes que simulam seu ecossistema: Mediterrâneo, Terras Úmidas, Tropicais, Oceanos Antártico e Ártico, Ilhas, Mar Vermelho. Você ainda vai se divertir em um restaurante submarino e passar pelo Túnel de Tubarões, que o deixa a poucos centímetros dos predadores do alto mar.
Com a barriga cheia.
Já falamos da arquitetura, da cultura e das artes. Mas indiscutivelmente, uma das maiores contribuições de Valência ao povo espanhol foi o seu prato mais famoso: a paella. A cidade é o berço da receita e muitos críticos gastronômicos, como os próprios valencianos, atestam que o único local aonde é possível consumir a receita original é na cidade. Quando a região foi invadida pelos mouros, eles trouxeram do oriente o arroz e as especiarias e, devido a localização junto à costa, a própria população tratou de juntar esses dois mundos, mostrando que, efetivamente, a cidade tem o poder de unir o que parece ser distinto entre si.
Como não poderia deixar de ser, há infinitos estabelecimentos que afirmam possuir a melhor paella da cidade. E o melhor, é que você poderá tirar suas próprias conclusões da maneira mais saborosa possível: provando! Por isso, não perca tempo. Esse é um destino perfeito para quem quer fugir do óbvio. Sem erro nenhum.

 

 

 

 



Você pode pagar seu anúncio com :