•Agência de Turismo
   •Beleza e Estética
   •Decoração
   •Diversão
   •Educação e Cursos
   •Gastronomia
   •Lazer
   •Meio Ambiente
   •Moda e Vestuário
   •Pet & Cia
   •Psicologia
   •Saúde
   •Turismo

Alimentação canina. Muito além da comida.

Compartilhe esta matéria com seus amigos !
Você chega em casa morto de fome e para amenizar, prepara um sanduíche natural como presunto, queijo, tomate e alface. Mas basta dar a primeira mordida para perceber que seu cãozinho, com um olhar triste, não
para de fitar o seu lanche. Como é natural, e como você não resiste a este olhar, acaba dando um pequeno pedaço para seu amigo. Essa é uma cena cotidiana em inúmeras casas. Porém, saiba que, ao invés de um pequeno agrado, um simples benefício, você pode estar fazendo muito mal ao seu cãozinho. Descubra todos os malefícios que uma alimentação errada pode trazer ao seu amigo de 4 patas.

Com o rei na barriga.
O sistema digestivo de humanos e cães são bem peculiares e diferentes. Nosso estômago, independente do peso e altura, é bastante reduzido. Para obtermos todos os nutriente necessários, precisamos realizar diversas refeições por dia. Já nos cães é justamente o oposto: o estômago é enorme se comparado ao tamanho do animal e, com apenas duas refeições balanceadas, eles já consomem o necessário para sua dieta. Portanto, o primeiro erro ao oferecer comida fora de hora é o risco natural da obesidade. Os cães podem ter, desde problemas de locomoção, até diabetes!
O segundo e mais preocupante problema em oferecer comida humana ao seu cachorro é o risco, sério, de envenenamento, o que pode leva-lo à morte. Muitos alimentos consumidos por humanos são proibidos aos animais, podendo afetar não apenas o sistema digestivo, como o nervoso e o renal. Quer um exemplo? Uma das grandes unanimidades entre pessoas de todas as idades, o chocolate, pode levar o cão a uma intoxicação fatal.
Não é como antigamente.
Uma das maiores desculpas dos donos que fornecem comidas inadequadas aos animais é a máxima: “Mas antigamente não existia ração e todos os cachorros viviam bem”. Rebater esta tese é bem simples: além dos alimentos não possuírem tantos conservantes químicos quanto hoje, havia um reduzido número de médicos veterinários para diagnosticar e tratar as doenças, ou seja, assim como os humanos, a expectativa de vida do
animal também era menor.
Por todos os fatores já citados, cuidar da alimentação de seu cão é fundamental é de inteira responsabilidade dos donos. Por isso, fique atento:
• Ofereça uma ração de qualidade, em horários determinados.
• Não ofereça alimentos industrializados, com conservantes ou gordurosos ao seu animal.
• Se seu animal ingeriu algo fora da sua dieta, procure um veterinário para saber dos riscos.
• Se você quiser fazer um agrado, ofereça biscoitos caninos, que são propícios para o consumo animal.
Agora é ficar de olho e alimentar o amor entre vocês dois.

 

 

 

 



Você pode pagar seu anúncio com :