•Agência de Turismo
   •Beleza e Estética
   •Decoração
   •Diversão
   •Educação e Cursos
   •Gastronomia
   •Lazer
   •Meio Ambiente
   •Moda e Vestuário
   •Pet & Cia
   •Psicologia
   •Saúde
   •Turismo

Superproteção e seus malefícios.

Compartilhe esta matéria com seus amigos !
A superproteção, assim como qualquer excesso, é bastante prejudicial. Ela ocorre quando achamos que estamos ajudando mas, no fundo, não percebemos que estamos prejudicando muito. Muitos pais amam muito seus filhos e por achar que estão fazendo o melhor, superprotegem e acabam não preparando os filhos para a vida.

A redoma de vidro.
Muitos pais protegem demais e não deixam os filhos enfrentarem as dificuldades comuns da vida. Fazem tudo pelo filho, tudo para poupar e facilitar a vida.
Só que desta forma não os dão a chance de aprender as coisas como elas são. Os pais sem perceber, muitas vezes, alimentam as fraquezas dos filhos, os impedindo de crescer. Desta forma, eles ficam cada vez mais dependentes e inseguros. A superproteção enfraquece.
A pessoa fica sem saber o que quer e com medo de tomar decisões.
Não se deve proteger demais e impedir os filhos de experimentar as coisas, de errar para aprender e descobrir sua própria capacidade e força. Os filhos
devem se esforçar para se desenvolver, fazer o que gostam, sem medo de errar, pois os erros ensinam mais do que os acertos. Confiar na própria capacidade, acreditar que podem, persistir sem depender.
O amor para ser eficiente deve ser inteligente.
Devemos ensinar os filhos a cuidarem melhor de si mesmos e assumirem a responsabilidade pela própria vida. Os filhos devem aprender a vencer os problemas com coragem e não serem eternas crianças mimadas e inseguras, que mais tarde terão problemas em vários aspectos de suas vidas como: área profissional, social e casamento.
Todos precisam crescer.
Um filho mimado, se quiser se libertar, em primeiro lugar, precisa começar a cuidar de si. Colocar-se em primeiro lugar. Não para os outros, mas para si mesmo.
Cuidar do seu corpo, do seu interior, prestar atenção em seus sentimentos e comportamentos. 
Não há nada mais gratificante do que dirigir a própria vida. Devemos acreditar que podemos cuidar de nós mesmos melhor do que ninguém.
O amor precisa colaborar com a vida e permitir que cada um enfrente os próprios desafios, vivencie experiências e desenvolva seus potenciais. Os filhos precisam ser fortes. Não é bom que os pais tentem impedir que os filhos sofram. Não devem se colocar na frente, não assumir os desafios que são deles, nem invadir seus espaços. Desta forma estão gerando muito mais mal do que bem. Quem ama liberta.
Aline Cataldi
Aline Cataldi – Psicóloga CRP:05/29285
Mestre em Saúde Mental (UFRJ)
Site novo:
www.alinecataldi.com.br

 

 

 

 



Você pode pagar seu anúncio com :