•Agência de Turismo
   •Beleza e Estética
   •Decoração
   •Diversão
   •Educação e Cursos
   •Gastronomia
   •Lazer
   •Meio Ambiente
   •Moda e Vestuário
   •Pet & Cia
   •Psicologia
   •Saúde
   •Turismo

Cuidados com seu animal de estimação no verão.

Compartilhe esta matéria com seus amigos !
Você percebeu e os institutos confirmaram: este é o verão mais quente dos últimos anos. E tanto calor afeta a disposição, humor e a saúde não apenas dos humanos mas também, dos nossos amiguinhos de quatro patas. Por isso, vamos dar dicas e informações de como proteger seu animal do sol, aliviando o calor e cuidando cada dia mais da sua saúde. 

Pode vir quente.
Quando estamos com calor, nosso corpo, para ajudar a regular a temperatura, começa a produzir suor. Nos cães o mecanismo é diferente: eles ficam com a boca aberta e há o aumento da frequência cardíaca. É por
este fator que, normalmente, muitos cães, mesmo que não tenham brincado ou praticado atividade física, estão prostrados e de boca aberta. A primeira dica importante é: para não aumentar ainda mais a sensação de calor, evite sair com o seu cão nos horários com maior incidência de raios solares. Isso também melhora outro problema: com as temperaturas muito elevadas, as ruas e o asfalto estão absurdamente quentes, podendo até queimar a pata do seu cãozinho.Tenha cuidado.

Uma questão de pele .
Existe uma dúvida muito comum em donos de animais sobre a necessidade de tosar ou não os pelos do cachorro nesta época do ano. Algumas raças populares no Brasil são originárias de países muitos frios e possuem a pelagem mais espessa (Exemplo: Shih-Tzu, Maltês, Chow-chow, Golden) e no calor eles podem sofrer com as altas temperaturas. O importante, antes de tudo, é pensar na saúde do animal e, não apenas, no lado estético.
Porém há um outro problema, muito comum e pouco difundido, que aflige cães e gatos: o câncer de pele.

Sim, você leu certo. Muitas pessoas acreditam que os pelos oferecem uma barreira para o sol, mas nem sempre é assim. Cães e gatos com pelagem clara, que possuam o focinho despigmentado, ou que sejam albinos, estão mais propensos (assim como os humanos) a desenvolverem a doença devido a exposição exagerada ao sol.
Nos animais, os indícios começam com feridas, principalmente nas extremidades das orelhas, cabeça ou focinho que, mesmo após diversas tentativas, não conseguem ser curadas. Para ter certeza, uma visita ao veterinário e uma biópsia serão a melhor solução para iniciar o mais breve possível o tratamento. Mas tudo isso pode ser evitado com uma solução muito simples:
filtro solar. Acredite, já existem produtos específicos para uso veterinário, que podem e devem, ser aplicados diariamente. Como última e mais importante dica, lembre-se: seu animal é o seu reflexo, evite a exposição exagerada ao sol, hidrate-o oferecendo sempre água
fresca e abundante e passe o protetor solar. Assim o verão de vocês dois vai ser muito mais alegre.

 

 

 

 



Você pode pagar seu anúncio com :