•Agência de Turismo
   •Beleza e Estética
   •Decoração
   •Diversão
   •Educação e Cursos
   •Gastronomia
   •Lazer
   •Meio Ambiente
   •Moda e Vestuário
   •Pet & Cia
   •Psicologia
   •Saúde
   •Turismo

Transtorno de Ansiedade na Infância.

Compartilhe esta matéria com seus amigos !
O medo e ansiedade podem exercer uma grande interferência na vida da criança, atrapalhando escola, vida familiar e amizades. Ela é o problema mais comum em crianças de todas as idades. Porém, é necessário perceber quando a ansiedade está prejudicando a vida da infantil.
Mudando a mente e o corpo.
Quando sente ansiedade, a criança apresenta pensamentos que giram em torno de algum tipo de perigo ou ameaça. Mas esse sentimento também pode ser experimentado no seu corpo. Uma criança ansiosa, possui o corpo mais alerta. A reação de luta ou fuga envolve mudanças como: aumento da frequência cardíaca, respiração, transpiração e náusea. Quando apreensiva, a criança pode queixar-se de dor no estômago, de dor de cabeça, pode vomitar, ter diarreia ou fadiga. Em situações que a deixam ansiosa, ela pode sentir as pernas bambas, chorar, agarrar-se a adultos ou ficar trêmula.

O que deixam as crianças ansiosas?
A ansiedade quase sempre envolve algum tipo de fuga.
Numa criança ela é alimentada por diversos fatores, como a maneira de pensar. Crianças ansiosas veem o mundo como um lugar perigoso e creem que isso é verdade. A maneira da criança lidar com seus temores, geralmente, é fugindo de situações ameaçadoras. E também a maneira como ela e os pais interagem, já que muitos pais acabam se precipitando e assumindo o controle da situação para proteger o filho ansioso. 
Como contornar o problema?
A criança e deve ser estimulada a enfrentar de maneira gradual todas as situações temidas. Para mudar os pensamentos, devemos realmente acreditar em pensamentos novos. Devemos nos convencer de que nossas crenças não são verdadeiras. Desta forma, nos transformar em cientistas ou detetives de nossas vidas, procurando evidências para cada pensamento negativo que vier em nossa mente. Para crianças, falamos em “pensar como um detetive”. Ao nos sentir ansiosos devemos nos perguntar: “O que estou esperando que vá dar errado?”. 

As crianças devem ser incentivadas a enfrentarem os medos. Proteger ou assumir coisas pela criança pode fazê-la sentir-se melhor a curto prazo, mas contribuirá para manter a ansiedade a longo prazo. 
Reconhecendo a ajuda.
Podemos concluir que a ansiedade é uma emoção normal e que nos ajuda a lidar com as situações difíceis, desafiadoras ou perigosas. A ansiedade é comum. Mas a ansiedade se torna um problema quando ela impede que a criança, por exemplo, desfrute da vida normal, afetando sua escola, relações familiares, amizades ou vida social.
A Terapia Cognitivo- Comportamental (TCC) está baseada na ideia segundo a qual o modo como nos sentimos e aquilo que fazemos são motivados pela
forma como pensamos. A TCC é uma das formas mais efetivas de ajudar crianças com problemas de ansiedade.
Aline Cataldi
Aline Cataldi – Psicóloga CRP:05/29285
Mestre em Saúde Mental (UFRJ)
Site novo no ar:
www.alinecataldi.com.br

 

 

 

 



Você pode pagar seu anúncio com :