•Agência de Turismo
   •Beleza e Estética
   •Decoração
   •Diversão
   •Educação e Cursos
   •Gastronomia
   •Lazer
   •Meio Ambiente
   •Moda e Vestuário
   •Pet & Cia
   •Psicologia
   •Saúde
   •Turismo

Você sabe como o tempo passa para os animais?

Compartilhe esta matéria com seus amigos !
Anos, meses, dias, horas, minutos e segundos. Nós sabemos exatamente como o tempo passa e vivemos em função dele. Acordamos em tal horário, saímos do trabalho ás tantas horas, ou seja, nós sabemos quais tarefas devemos desempenhar e qual horário obedecer.
Mas já reparou que alguns animais domésticos, como os cachorros, também parecem cumprir essas regras cronológicas? Muitos, por exemplo, parecem esperar pelo dono pontualmente, ou então, latem
insistentemente sempre no mesmo momento, todos os dias. Porém, você já se perguntou por que isso acontece? Será que nossos amigos também possuem um relógio interno que os ajuda a compreender a passagem de tempo? Leia a matéria e tire suas dúvidas.

Uma questão de instinto.
Nós humanos temos duas importantes capacidades:
conseguimos lembrar uma sequência de acontecimentos e conseguimos prever futuros problemas e necessidades. Por exemplo: uma criança, por acidente, coloca a mão em uma tomada e toma um choque. Ela vai lembrar
que isso aconteceu e no futuro, não vai mais colocar seu dedo neste local. Isso é o que chamamos de aprendizado.
Os animais também possuem essa capacidade, só que em uma escala muito menor. Para comprovar, cientistas fizeram o seguinte teste: para ganhar um petisco, os animais precisavam acertar uma sequência de botões. 
Os primatas e as aves se saíram muito bem. Só que, semanas depois, o teste foi repetido utilizando os mesmos animais e a mesma sequência de botões. 
O resultado foi inusitado. Os animais simplesmente esqueceram a ordem correta e necessitaram aprender tudo novamente. Ou seja, pelo menos em curto prazo, nossos amigos possuem o mesmo senso de retenção de memórias. Em longo prazo, porém, ele não é tão eficiente. O teste descrito pode até parecer loucura ou simplesmente uma curiosidade de cientistas. Mas ele é imprescindível para que possamos treinar ou adestrar um animal de estimação. Como vemos, eles conseguem aprender e isso é fundamental para que alguma lição, como sentar ou não latir, se torne um hábito. Ou seja, devemos repetir um determinado comando diariamente até que o animal já o faça por instinto. Em resumo: devemos persistir e nunca desistir.
Preocupações com o futuro.
Quando pensamos a logo prazo, podemos prever de antemão quais problemas poderemos ter e quais soluções adotar. Algumas espécies também parecem possuir esse mesmo instinto. Veja o exemplo dos esquilos: eles sempre armazenam comida para as épocas mais frias. O que os cientistas pesquisam agora é se esse comportamento é feito por instinto, ou seja, da própria natureza animal, ou se ele é aprendido através de experiências. A resposta pode ajudar os donos a terem uma relação muito mais estreita e duradoura com o bichinho de estimação. Veja o seguinte caso: se o animal consegue antever problemas futuros, ele mudará seu comportamento e vai evitar comer toda a vasilha da ração, caso o dono se atrase algumas horas para chegar a casa. Isso melhoraria o comportamento e faria com que o adestramento ficasse muito mais eficiente. Mas enquanto a resposta conclusiva não chega, seu animal nunca vai esquecer o amor e o carinho que você dá a ele diariamente.

 

 

 

 



Você pode pagar seu anúncio com :