•Agência de Turismo
   •Beleza e Estética
   •Decoração
   •Diversão
   •Educação e Cursos
   •Gastronomia
   •Lazer
   •Meio Ambiente
   •Moda e Vestuário
   •Pet & Cia
   •Psicologia
   •Saúde
   •Turismo

Alergia em cães e gatos. Quando o problema está na pele.

Compartilhe esta matéria com seus amigos !

Ela chega silenciosa e, muitas vezes, com sintomas que podem ser confundidos com outros problemas:
coceiras, lambidas insistentes e perdas de pelo. Na vontade de tratar o problema e aliviar o desconforto do seu animal, você acaba comprando sabonetes e xampus para animais que, depois do uso, acabam piorando o problema. Você pode até não saber, mas seu animal pode estar com uma doença extremamente comum também em humanos: a alergia. Leia essa
matéria e fique por dentro desse assunto que tanto incomoda o seu bichinho de estimação.
Por baixo dos pelos.
A alergia em cães e gatos é, assim como nos humanos, uma doença genética que causa um processo inflamatório. Ela acontece quando o animal entra em contato com alguma substância a qual ele possui hipersensibilidade e o sistema imunológico oferece  uma resposta exagerada a este agente.
Fungos, bactérias, ácaros, picadas de insetos, determinados componentes de sabonetes, perfumes e xampus e até mesmo algum tipo específico de comida podem fazer a doença se manifestar.
Nos humanos, a doença, muitas vezes, é mais facilmente diagnosticada. Alterações de pele, manchas vermelhas, bolhas, mal-estar. Ao menor sinal de problema, procuramos um médico alergista,que realizará os exames necessários. No caso dos animais nem sempre o problema é tão aparente.
Alterações de pele podem ser facilmente encobertas pelas camadas de pelos e é absolutamente normal confundir os sintomas de alergia com os de outras doenças.
Para uma melhor noção, a alergia é a doença de pele mais diagnosticada em animais de pequeno porte. 
Os sintomas podem ser os mais variados: coceira insistente, vermelhidão, descamação de pele e em alguns casos, perda de pelos.
O grande problema da alergia é que, na maioria dos casos, o dono do animal demora a procurar um veterinário e confunde os sintomas, principalmente
a coceira, com outros problemas como carrapatos, pulgas e sarna e na ânsia de resolver o problema sozinho, acaba piorando a doença.
Procura e acha.
A alergia pode se desenvolver, também, devido a outros quadros: infecções e estresse (falta de brincadeiras e passeios, mudanças recentes no ambiente, etc.) podem se transformar no gatilho necessário para o aparecimento da alergia.
Além de manter uma rotina saudável, com brincadeiras e passeios, é bom ficar atento a alguns pequenos detalhes: você mudou recentemente a marca de ração de seu cão ou gato? Ao limpar a casa, seu animal se deita no chão ainda com produtos químicos? Ele tem acesso a outros tipos de alimentos, como biscoitos, queijos ou restos de comida? Seu animal está em dia com os remédios contra pulgas e carrapatos?
Por isso, ao sinal de qualquer problema, procure o veterinário. Ele é o único profissional que poderá diagnosticar corretamente a doença. Apesar de não
ter cura, assim como nas pessoas, é possível, com o tratamento certo, que seu animal leve uma vida tranquila e sem nenhum problema, sem sustos ou
sobressaltos para ele e para os donos.
Com todo carinho e cuidado.
O veterinário sempre será a pessoa mais indicada para tratar e cuidar do seu animal. Porém, há alguns cuidados, que você, no dia a dia, pode adotar para deixar seu animal livre das alergias ou evitar que a doença se agrave. E o melhor: essas dicas não possuem contraindicação e não colocam a vida e a saúde de seu animalzinho em risco:
• Respeite o intervalo de banhos indicado pelo veterinário.
• Temperatura da água deve ser morna ou fria.
• A pele do animal deve ser gentilmente massageada.
• Respeite o tempo de ação do xampu, massageando sempre a pelagem.
• É imprescindível realizar uma boa secagem para evitar o aparecimento de fungos. Use um soprador e toalha e, caso não haja alternativa, use o secador sempre no modo morno e distante do animal.
• Para evitar infecções, seque com extremo cuidado
as orelhas.
• As patas também necessitam de cuidados especiais. Seque-as com delicadeza e principalmente entre os dedos. Não se esqueça de aparar regularmente as unhas de seu animal para evitar que ele se machuque,
ainda mais quando se coça.
• N ão use perfumes e xampus sem serem os indicados pelo veterinário. Muitas substâncias encontradas em xampus humanos podem aumentar a oleosidade afetando a pele e o pelo do animal. Vale lembrar que, principalmente os cães, possuem o olfato muito mais aguçado que os humanos e perfumes fortes podem fazê-los terem dificuldades na respiração, afetando, assim sua saúde.
Com essas dicas, a qualidade de vida do seu animal só tem a ganhar.

 

 

 



Você pode pagar seu anúncio com :