•Agência de Turismo
   •Beleza e Estética
   •Decoração
   •Diversão
   •Educação e Cursos
   •Gastronomia
   •Lazer
   •Meio Ambiente
   •Moda e Vestuário
   •Pet & Cia
   •Psicologia
   •Saúde
   •Turismo

Limites: como colocar em prática a nova forma de educar.

Compartilhe esta matéria com seus amigos !
Como ser um pai e mãe modernos sem perder a autoridade? Como ser contemporâneo e conseguir fazer com que os filhos cresçam com limites e capacidade de compreender e enxergar o outro?
Em primeiro lugar, deve-se lembrar de que ninguém pode respeitar o outro se não aprender quais são seus limites. Não podemos fazer tudo que queremos, nem na hora que queremos.
Desde pequenos devemos aprender que muitas coisas podem e outras não podem e não devem ser feitas, mesmo que deem muita vontade ou prazer. Devemos ensinar aos nossos filhos a amar o outro e não apenas a si mesmo. Ensiná-los o que é certo e o que é errado.
Dar limites é:
• Ensinar que os direitos são iguais para todos;
• Ensinar que existem outras pessoas no mundo;
• Os pais devem fazer a criança compreender que seus direitos acabam onde começam os direitos dos outros;
• Dizer “sim” sempre que possível e “não” sempre que necessário. E ao dizer não, deve-se mostrar a razão concreta.
•Mostrar que muitas coisas podem ser feitas e outras não;
• Fazer a criança ver o mundo com uma conotação social (conviver) e não apenas psicológica (o meu desejo e o meu prazer são as únicas coisas que
contam);
• Ensinar a tolerar pequenas frustrações no presente para que, no futuro, os problemas da vida possam ser superados com equilíbrio e maturidade. É fundamental aprender a esperar sua vez;
• Desenvolver a capacidade de adiar a satisfação;
• Ensinar que primeiro vem os deveres, depois os direitos;
• Evitar que seu filho cresça achando que todos no mundo têm de satisfazer seus mínimos desejos e, se isso não ocorrer, não conseguir lidar bem com a menos contrariedade;
• Dar o exemplo.
Ao lidar com seu filho lembre-se:
• Cumpra o que disse: ameaçou, execute. Prometeu, faça.
• Seja coerente: o que não pode, não pode nunca. Não mude de atitude como quem muda de roupa.
• Faça com que seus filhos gradualmente assumam responsabilidades: deixe que eles participem das decisões sobre prêmios ou consequências.
• Cuidado com o que você diz e com o modo como diz: critique o ato, nunca a pessoa ou a personalidade de seus filhos e não tenha pena.
Agindo desta forma estamos criando cidadãos e prevenindo um futuro de irresponsabilidades e isso é muito, muito importante!
(Texto de Aline Cataldi, baseado no livro: “Limites sem trauma, de Tania Zagury)
Aline Cataldi
Psicóloga Clínica e Escolar - CRP:05/29285
Mestre em Saúde Mental
www.alinecataldi.com.br
www.facebook.com/alinecataldipsi

 

 

 

 



Você pode pagar seu anúncio com :